Formação da Seleção

Inicio do Projeto Nelore Colonial

O rebanho foi formado a partir de 1970 com a aquisição de fêmeas junto aos criatórios de Torres Homem, Rubico Carvalho, Otávio Machado e de animais oriundos do criatório de Eduardo Duvivier linhagem (SA) santa aminta.

Criterios Zootecnicos - Fertilidade

A partir de 1973 iniciou-se o controle ponderal do rebanho. Em 1976 todo o rebanho foi transferido da fazenda Calciolândia, Oeste de Minas, para a fazenda Colonial, no Norte de Minas. Desde então é adotada a estação de monta, implantada pelo prof. Vicente Otávio da Fonseca (UFMG), com o acompanhamento do Dr. Célio de Freitas, descartando todas as novilhas vazias, após 60 dias de estação, e, as vacas, após 90 dias.

As vacas são cobertas ou inseminadas durante 90 dias de estação de monta (de 01/01 a 01/04) e as novilhas durante 60 dias (de 15/01 a 15/03).

Na segunda quinzena de novembro é feito exame andrológico e de capacidade de serviço dos touros que irão cobrir na estação de monta.

Nelore Super Precoce - Fertilidade

Desde janeiro de 1995 as novilhas de 12 a 14 meses de idade entram em estação de monta. As fêmeas da estação de nascimento 1993 foram os primeiros lotes a entrarem na estação de monta Super Precoce no programa nelore super precoce da Seleção Colonial.

Sistema de Criação

As matrizes são manejadas permanentemente em pastagens, recebendo durante a estação seca suplementação mineral com incremento de ureia.

As matrizes são avaliadas pela habilidade materna DEP Materna 120 dias e pela fertilidade capacidade de ficarem gestantes em todas as estações de monta que participam. No período seco da desmama até um ano de idade (julho a novembro) os animais são manejados sob sistema de pastoreio racional com qualidade proteica e em grupos de manejo sempre separados machos de fêmeas.

Após um ano de idade, tourinhos e novilhotas são manejados em pastagens usuais da fazenda, com lotação variável dependendo do tipo de gramínea, qualidade das forragens e quantidade de chuva podendo obter uma lotação de até 2 UA por hectare.

Objetivos da Seleção

É objetivo do programa de melhoramento do rebanho COL são, a maximização da eficiência da produção de carne para o sistema de criação extensivo prevalente no trópico semi-árido, priorizando a seleção por fertilidade, habilidade materna e precocidade da fertilidade e acabamento de carcaça.

Critérios da Seleção

Machos: Após cada relatório de desempenho às idades padrões (205, 365 e 450 dias) e relatórios de avaliação genética são selecionados os machos reserva com avaliações altamente positivas priorizando sempre animais com avaliação equilibrada entre esses índices que são prioritários do ponto de vista colonial de produtividade, buscando as maiores DEPs e visando sempre obter ganho genético por meio da diminuição do intervalo entre gerações e exigindo menores desvios entre a parte morfológica e genética.

No mês de abril a permanência ou não destes animais como reserva é reavaliada a partir da avaliação de carcaça por meio de ultrassonografia.

Fêmeas jovens são reservadas para reposição segundo o desenvolvimento ponderal até os 450 dias de idade, habilidade materna e parto juliano das mães e avaliação fenotípica. Fertilidade e habilidade materna são prioridades na seleção de fêmeas adultas. Sistematicamente todas as fêmeas vazias são descartadas após o diagnóstico de gestação. Como o rebanho está estabilizado, há sempre uma reposição próxima de 25 % ao ano.

No inicio da estação de monta há uma eliminação das fêmeas utilizando a habilidade materna e data de parto mais tardia (Parto Juliano) para o descarte das matrizes em reprodução e utilizando do mesmo critério para definir as fêmeas jovens que serão para reposição da seleção, priorizando animais melhores em Habilidade Materna e os primeiros nascidos na estação de nascimento.

Coleta de Dados / Avaliação fenotípica / Carcaça

Todos os produtos são pesados (fêmeas e machos) e feita a medição do perímetro escrotal (machos) trimestralmente nos meses de janeiro, abril, julho e outubro até a idade de 480 dias. Uma vez por ano (em janeiro) é feita uma avaliação fenotípica individual de todos os animais com idade entre 13 a 15 meses de idade para planejar o descarte de animais e definição dos critérios de comercialização dos animais e escolher os animais reservas para reposição do rebanho. Nesta avaliação são priorizadas características de padronização dos indivíduos, desenvolvimento, precocidade. Em abril é feita a avaliação de ultrassonografia de carcaça por meio de imagem de ultrasom em todos os animais da safra com idade entre 16 a 18 meses.

Genética

Uma primeira tentativa do estabelecimento de um programa de melhoramento genético foi feita em 1983, quando foi firmado um convênio com o CNPGC (Embrapa), sob a coordenação do Prof. João Camilo Milagres e apoio do geneticista Luiz Otávio Campos Silva.

Em 1986 a coordenação do programa de melhoramento do rebanho COL passou para o Prof José Aurélio Bergmann (UFMG). Inicialmente todo o processamento dos dados era feito em Belo Horizonte, mas a partir 1989 passou a ser feito na própria fazenda. Em 1992 teve início a tomada de medições periódicas do Perímetro Escrotal (PE). Em 1993 foi realizada a primeira avaliação genética pelo método BLUP, possibilitando a predição de DEPs para diversos pesos e a estimativa da tendência genética do rebanho no período 1981-92.

 Ainda em 1993 a fazenda passou a fazer parte do PMGRN, coordenado pelo prof. Raysildo Lobo. Desde 1994 participa da Reprodução Programada do PMGRN sendo o único criador a participar de todas as edições do teste de progênie (RP – REPRODUÇÃO PROGRAMADA)

Na estação de monta do inicio de 1995 foi feito os primeiros acasalamentos super precoce de novilhas com 12 a 14 meses de idade, ficando até os dias atuais. 

Avaliação Genômica

Em abril e feito a colheita de material para avaliação genômica em bezerros antes ainda da desmama visando identificar os futuros touros de central e ou repassadores do rebanho bem jovem para aumentar a acuracia (Confiança da Avaliação Genética) e da transmissão genética para suas progênies no futuro, importante para definição da intensidade do uso do reprodutor.

Também animais que serão comercializados nos leilões de reprodutores e doadoras são apartados e analisado as avaliações inclusive a avaliação genômica se os animais possuem ou ainda não possuem será feita colheita de material e encaminhado para o laboratório para ser feita a avaliação em parte dos animais para comercialização.

Comercialização

Estaremos em busca constante de um animal produtivo e econômico, visando sempre a rentabilidade do criador e as necessidades da segurança alimentar.